Eduardo Bolsonaro vai à justiça contra redes sociais

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou via Twitter nessa 3ª feira (17.set.2019) que vai processar o Facebook e o Instagram por 1 post removido sobre reportagem da revista Época sobre sua mulher, Heloísa Bolsonaro. Ele afirma que foi censurado pelas redes sociais.

O deputado tentou publicar no sábado (14.set) dentro das redes uma montagem com a foto de Plínio Fraga, ex-editor-chefe da revista, e Daniela Pinheiro, ex-diretora de Redação.

Segundo Eduardo, eles são responsáveis por uma reportagem no qual 1 repórter se passa por 1 cliente do coaching da sua mulher, Heloísa Bolsonaro. A reportagem “O coaching on-line de Heloísa Bolsonaro: as lições que podem ajudar Eduardo a ser embaixador”, foi publicada pela Época na última 6ª feira (13.set.2019)

Segundo aviso que apareceu para Eduardo, a foto que ele usou nas postagens recebeu denúncia e foi retirada. “Eles cercearam meu direito constitucional a liberdade de expressão ao derrubarem meu post sobre ataques que recebi da Época”, escreveu o deputado. Eduardo conseguiu fazer a publicação em seu perfil no Twitter.

“Com a liberdade vem a responsabilidade e eu respondo por tudo que publico em minhas redes, não cabe ao fcaeobok/isnatgarm [sic] me cesnurar previamente em pleno ano de 2019. Que tais atitudes fiquem no passado e que reafirmemos que vivemos numa democracia com liberdades plenas (sic.)”, afirmou, segundo o MSN.

Eduardo escreveu ainda que o professor Olavo de Carvalho foi quem o orientou sobre a ideia de processar as empresas.

ENTENDA O CASO

Eis 1 resumo do caso envolvendo a revista Época:

  • reportagem controversa – Época colocou 1 repórter, sem se identificar, para acompanhar e registrar as sessões de coaching oferecidas por Heloísa Bolsonaro, mulher do deputado Eduardo Bolsonaro;
  • reação bolsonarista – o deputado, o presidente da República e muitos bolsonaristas passaram a criticar a reportagem e a atacar o Grupo Globo;
  • revista defendeu-se – Época soltou uma nota na 6ª feira (13.set) sustentando que a reportagem havia sido produzida com “respeito à ética e à retidão dos procedimentos jornalísticos”;
  • Grupo Globo desautoriza revista – ontem (2ª) o Conselho Editorial do Grupo Globo, responsável pela Época, divulgou nota reconhecendo “erro” e “decisão editorial equivocada”. Concluiu pedindo desculpas aos leitores da revista;
  • situação insustentável – desautorizados em público pelos donos do Grupo Globo, os 3 jornalistas pediram demissão: a diretora de Redação, Daniela Pinheiro; o redator-chefe, Plínio Fraga; e o editor Marcelo Coppola.

19/09/2019