HGE promove ação de prevenção às queimaduras no Shopping Pátio Maceió

O Hospital Geral do Estado (HGE) promove uma ação de prevenção às queimaduras no dia 9 deste mês, no Shopping Pátio Maceió, localizado no bairro Cidade Universitária. Durante o evento, que irá ocorrer das 14h às 18h, e irá mostrar as medidas preventivas para evitar acidentes que possam resultar em queimaduras, serão oferecidos serviços de saúde, como orientações nutricionais e aferição de pressão e teste de glicemia.

O esforço é resultado da iniciativa dos profissionais do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) do HGE, especializado no tratamento às vítimas de Média e Alta-Complexidade. Isso porque, durante o mês de junho, historicamente aumenta o número de atendimentos a vítimas de queimaduras, em razão das festas juninas, quando são feitas fogueiras, cozimentos de comidas típicas e do tradicional uso dos fogos de artifício.

“Vale acrescentar que o dia 6 de junho é o Dia Nacional de Luta Contra Queimaduras, o que reforça nossa vontade em disseminar mais informações que possam afastar o risco de acidentes. Isso porque, as queimaduras causam sofrimentos, dores, preocupações e, em casos mais graves, podem levar ao óbito”, salientou a supervisora médica do HGE, Janaína Gouveia.

Dados – Somente em 2017, o HGE registrou 631 atendimentos a vítimas de queimaduras. O destaque vai para os meses de férias escolares, como: dezembro (87) e janeiro (68). O mês de junho é o quinto que mais assistiu a essas vítimas, ao todo se contabiliza 48 (mesmo quantitativo do mês de novembro).

Em 2016, o HGE registrou 612 casos de atendimentos a vítimas de queimaduras. Ou seja, no ano seguinte houve um aumento assistencial no HGE de pouco mais de 3%. Apesar de o número da crescente aparentar ser pouco, os prejuízos a saúde da vítima são grandes, assim como os investimentos no tratamento às sequelas e a perda do trabalhador no mercado de trabalho.

Entre as causas mais recebidas no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), lideram os líquidos superaquecidos; eles dominaram 48% dos internamentos (128) e 58% dos atendimentos ambulatoriais (333) em 2017. O contato com a chama direta está na segunda posição entre os acolhimentos mais feitos: 28% dos internamentos (73) e 13% dos atendimentos ambulatoriais (66) também em 2017. Os demais números englobam os acidentes com sólidos superaquecidos, explosivos, eletricidade e substâncias químicas.

Ascom – 02/06/2018