Municípios turísticos de Alagoas se preparam para alta temporada

Com a finalidade de oferecer maior qualidade aos serviços prestados aos turistas que visitam os diversos municípios turísticos do Estado, técnicos da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) participaram, nesta quarta-feira (14), de uma reunião no Village Barra Hotel, no município da Barra de São Miguel, a 35 quilômetros da capital alagoana. A reunião serviu para definir estratégias para melhor atender os visitantes durante a alta temporada na cidade.

O encontro, que acontece anualmente, é organizado pela Prefeitura da Barra de São Miguel e reúne membros da Associação dos Empresários da Barra de São Miguel (Aembar), além de técnicos da Casal, Eletrobras, Detran/AL e Polícia Civil, que discutem melhorias relacionadas à coleta de lixo, fornecimento de energia e água, trânsito e policiamento, a fim de garantir um verão seguro e tranquilo para os visitantes.

O Governo de Alagoas, por meio da Sedetur, tem importante participação na articulação com diversos órgãos, com a finalidade de proporcionar um melhor serviço para os turistas que visitam os diversos municípios turísticos do Estado.

“Além do trabalho intenso de divulgação do Destino Alagoas no geral, a Sedetur tem trabalhado também para que os municípios turísticos, como a Barra de São Miguel, não sejam apenas um destino de ‘bate e volta’ para quem está em Maceió, mas sim um local onde as pessoas possam ir e passar dois, três dias, fomentando a atividade turística das regiões”, explicou a assessora especial de Turismo da Sedetur, Sandra Villanova.

Localizado no Litoral Sul de Alagoas, o município da Barra de São Miguel conta com uma boa estrutura de hotéis e pousadas e é um dos principais destinos de verão dos alagoanos, além de atrair turistas de todo Brasil e do mundo.

Boa parte da praia principal da cidade possui uma extensa barreira de recifes de coral, formando uma enorme piscina natural de águas calmas e cristalinas na maré baixa. No trecho esquerdo da praia, onde não existe a proteção dos arrecifes, as ondas fortes são propícias à prática de surfe. Na região, também é comum a prática de esportes radicais, como o flyboat, parapente e flyboard.

Ascom – 16/11/2018